Warning (2): strtotime() [function.strtotime]: It is not safe to rely on the system's timezone settings. You are *required* to use the date.timezone setting or the date_default_timezone_set() function. In case you used any of those methods and you are still getting this warning, you most likely misspelled the timezone identifier. We selected the timezone 'UTC' for now, but please set date.timezone to select your timezone. [CORE/cake/basics.php, line 1052]
Warning (2): date() [function.date]: It is not safe to rely on the system's timezone settings. You are *required* to use the date.timezone setting or the date_default_timezone_set() function. In case you used any of those methods and you are still getting this warning, you most likely misspelled the timezone identifier. We selected the timezone 'UTC' for now, but please set date.timezone to select your timezone. [CORE/app/app_controller.php, line 30]
Warning (2): session_start() [function.session-start]: Cannot send session cookie - headers already sent by (output started at /home/laborato/public_html/cake/basics.php:871) [CORE/cake/libs/session.php, line 154]
Warning (2): session_start() [function.session-start]: Cannot send session cache limiter - headers already sent (output started at /home/laborato/public_html/cake/basics.php:871) [CORE/cake/libs/session.php, line 154]
Warning (2): Cannot modify header information - headers already sent by (output started at /home/laborato/public_html/cake/basics.php:871) [CORE/cake/libs/session.php, line 155]
Warning (2): Cannot modify header information - headers already sent by (output started at /home/laborato/public_html/cake/basics.php:871) [CORE/app/views/layouts/default.thtml, line 3]
Warning (2): Cannot modify header information - headers already sent by (output started at /home/laborato/public_html/cake/basics.php:871) [CORE/app/views/layouts/default.thtml, line 4]
Warning (2): Cannot modify header information - headers already sent by (output started at /home/laborato/public_html/cake/basics.php:871) [CORE/app/views/layouts/default.thtml, line 5]
Warning (2): Cannot modify header information - headers already sent by (output started at /home/laborato/public_html/cake/basics.php:871) [CORE/app/views/layouts/default.thtml, line 6]
MACROPROLACTINA - Exames - Rocha Laboratório Total - Patologia, Análises Clínicas, Biologia Molecular e Centro de Referência em Imunizações

Laboratório Rocha

Rocha Online

Código: MACRO

Nome: MACROPROLACTINA

Material: soro

Sinônimo: PRL

Volume: 1.0 mL

Método: Quimioluminescência, precipitação com PEG

Volume Laboratorial: 1.0 mL

Rotina: Diária

Resultado em: 24h

Temp.: Sob refrigeração

Coleta: Jejum não necessário. Colher de preferência com paciente em repouso.

Interpretação: Uso: A pesquisa de macroprolactina é importante em todos os casos em que níveis elevados de prolactina forem encontrados, especialmente nos pacientes oligo ou assintomáticos. Assim, procedimentos propedêuticos de alto custo e risco para o paciente podem ser evitados. A prolactina é um hormônio bastante heterogêneo e, do ponto de vista de peso molecular, existem três formas principais em circulação: monômero de 23kDa, dímero (big prolactin) de 45kDa e macroprolactina (big-big prolactin) de peso molecular acima de 150kDa. Em condições normais ou em pacientes com hiperprolactinemia sintomática, predomina em circulação a forma monomérica. A macroprolactina é constituída, na maioria dos casos, por uma associação entre uma molécula de prolactina e uma de IgG, o que leva a uma meia-vida mais longa e atividade biológica menor. A pesquisa da macroprolactina é feita por método de precipitação com polietilenoglicol (PEG) e estudo da recuperação após a precipitação. Se a recuperação pós precipitação é inferior a 30%, considera-se que há predominância de formas de alto PM (macroprolactina). Se a recuperação é superior a 65%, predominam as formas monoméricas. Nos casos de recuperação intermediária, é necessário utilizar a cromatografia do soro em coluna de filtração para caracterização mais apurada. Interferentes: bloqueadores do receptor de dopamina, antidepressivos, drogas para tratamento de hiperprolactinemia e neurolépticos. Bibliografia: GLEZER, Andrea, D'ALVA, Catarina Brasil, BRONSTEIN, Marcello Delano et al. Macroprolactina e incidentaloma hipofisário. Arq Bras Endocrinol Metab, Mar./Apr. 2001, vol.45, no.2, p.190-198. VIEIRA, José Gilberto H. Macroprolactinemia. Arq Bras Endocrinol Metab, Feb. 2002, vol.46, no.1, p.45-50.

Referência: Maior que 60% :Ausência de macroprolactina
Entre 30% e 60%:Intermediária
Menor que 30% :Presença de macroprolactina (big)

Voltar
desenvolvimento Burn web.studio